#4 comportamentos-chave para boas conversas

#4 comportamentos-chave para boas conversas
Para a versão em áudio clique no "play"
Tempo de leitura: 2 Minutos

De acordo com o Center for Creative Leadership, são quatro os comportamentos-chave para boas conversas, ademais, fundamentais. No entanto, podemos usar todos ou apenas alguns, conforme a conversa e os objetivos da mesma.

Neste artigo:

De acordo com o CCL, estes comportamentos são úteis para todo o tipo de interacções entre pessoas. Às vezes, no seu quotidiano, outras vezes, nas reuniões de equipa e ainda mais nas conversas emocionalmente mais exigentes.

Por sua vez, a flexibilidade dos critérios permite que os 4 comportamentos-chave, sejam usados na sua totalidade, em parte ou apenas um deles, em cada conversa. Depende sempre do resultado que pretende atingir e do decurso da conversa.

Os 4 comportamentos fundamentais para boas conversas são:

Escutar para entender.

Este comportamento vai muito além da escuta activa, é necessário elevar essa habilidade a um nível superior para encontrar aquilo que é ouvir verdadeiramente para entender.

Escutar para entender é concentrar-se também nas razões e nas emoções que estão por detrás de um tópico. Sem dúvida, é onde se encontram reservas ou objecções não declaradas. Certas barreiras ocultas, se compreendidas, ajudam a ultrapassar obstáculos.

Quem consegue compreender para lá do tópico, quem realmente escuta o que ouve, consegue dar uma resposta mais forte, mais adaptada e superar os desafios impostos.

Fazer perguntas poderosas.

Fazer boas perguntas é uma arte. As perguntas podem, por isso, ajudar a descobrir ideias, a chegar a novos lugares.

Perguntar, por exemplo: – “Como deseja que a sua equipa se sinta quando anunciar o novo projecto?” – é uma pergunta que vai gerar mais reflexão e daí conduz a melhores respostas. Abre caminho a novas perspectivas.

Diferente seria perguntar: “Quando é que vai apresentar o novo projecto à sua equipa?” visto que é um tipo de pergunta que gera muito pouco valor. A resposta será sempre objectiva e responde apenas ao facto.

Desafiar e apoiar.

O desafio é um teste às capacidades, é algo que nos coloca à prova, que busca ideias diferentes e novas descobertas. Apoiar as pessoas no momento do desafio é o que pode fazer a diferença.

Um desafio lançado sem apoio, levado ao extremo e feito no momento errado pode inclusive causar danos.

Por conseguinte, é importante apoiar e, mostrar às pessoas que além de ouvidas, os seus sentimentos e valores são compreendidos. Assim, criamos confiança e, incentivamos a transparência. Quando bem conduzida, esta conversação promove um diálogo mais construtivo e evita comportamentos defensivos.

Estabelecer novas acções, para gerar mudanças positivas.

É esperado que de uma conversa saiam entendimentos, uma vez que, entendimentos conduzem a acções, acções que vão gerar mudanças.

É o caso que sucede quando terminamos uma conversa e dizemos: “Fica combinado. Vou fazer um resumo dos pontos que falámos e já lhe envio por e-mail”. Isto quer dizer que além de estarmos interessados em continuar as acções, também queremos manter a informação transparente.

Veja também:

Deixe uma resposta

Avalie este artigo

O seu endereço de email não será publicado.